quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Nkali

Hoje tive acesso a um vídeo (Marcia Buzalaf) interessante e muito claro. A autora nigeriana Chimamanda Adichie apresenta o perigo e as consequências da história única. O destino unívoco de um continente, interpretado em países ocidentais, nos coloca no que a autora chama de "posição de base", desenvolvendo, ao contrário do que pensamos, uma visão desprivilegiada, limitada e por que não dizer, injusta. 

"A sua posição base em relação a mim, enquanto africana, era uma espécie de piedade paternalista bem intencionada."
nkali

É ser maior que o outro
De uma maneira negativa, querer ser mais, pensar ser mais:

"Como os nossos mundos mundos econômico e político, também as histórias se definem pelo princípio do nkali." (Chimamanda Adichie).

 "A história única cria estereótipos. e o problema com os estereótipos não é eles serem mentiras, mas eles serem incompletos. Eles fazem uma história tornar-se a única história."

O problema que nos apresenta Adichie pode ser observado em diversas esferas sociais. Michelle Perrot argumentou e recontou a história ocidental, a partir de estudos desenvolvidos por grande equipe, da perspectiva feminista. O que ela sabiamente chamou de Minha história das mulheres (Aqui vão duas resenhas bem bacanas - 1 de Ana Teresa A. Venancio e 2 de Carla Bassanezi Pinsky.

(Chimamanda Adichie: O perigo da história única. Assista ao vídeo, e não corra o risco de ter apenas a minha versão: 


Nenhum comentário: