terça-feira, 24 de junho de 2014

Rosas

No sábado, 21, morria no Rio de Janeiro a belíssima Rose Marie Muraro. Deixou lições de vida que não serão esquecidas. Dedicou-se a combater todo tipo de desigualdade: de gênero, social, racial.
Durante décadas, trabalhou com Dom Helder Câmara e Leonardo Boff, na luta pela emancipação das mulheres e pelo importante movimento social da Teologia da Libertação.
No campo da produção intelectual, seu livro mais conhecido, Sexualidade da Mulher Brasileira: corpo e classe social no Brasil, é um trabalho de campo realizado em vários estados,  um retrato duro das diferenças que marcaram a década de 1970, mas que persistem em muitas regiões brasileiras.
Teve corajosamente: cinco filhos, doze netos e quatro bisnetos.
Rose agora está guardada ao lado da outra, a Luxemburgo, e tantas flores raras. Fica na dobra esquerda do meu coração. 
Como bem destacou Boff sobre essa mulher impossível: "Ela se inscreve na linhagem das grandes mulheres arquetípicas que ajudam a humanidade a preservar viva a lamparina sagrada do cuidado por tudo o que existe e vive."
(em: http://leonardoboff.wordpress.com/2014/06/22/rose-mrie-muraro-a-saga-de-uma-mulher-impossivel/)

Outros agradecimentos:
http://rosemariemuraro.blogspot.com.br/2010/11/parabens-rose-e-obrigada.html

Nenhum comentário: